quinta-feira, 4 de março de 2021

8 de março, Dia da Mulher - Visionamento do filme "A Ganha - Pão"

Vê este excelente filme, muito adaptado à importância deste dia, refletindo no que ainda falta mudar no Mundo em pleno século XXI, para que exista igualdade entre Homens e Mulheres. (Basta clicar no link com o nome do filme) : "A Ganha - Pão"

Adaptado do livro Deborah Ellis. “A Ganha-Pão” conta a história da jovem Parvana, uma rapariga afegã que ainda não entrou na adolescência, filha de um professor e de uma escritora. Quando o filme começa, encontramos a nossa protagonista juvenil num mercado com o pai que, mostrando-se relativamente liberal, educa a filha e leva-a à rua nos seus afazeres. Nesse dia, contudo, a presença de Parvana e o passado académico de seu pai chamam a atenção de um antigo aluno do patriarca, agora tornado soldado talibã. A liberdade da jovem Parvana é posta em causa e o seu pai é, mais tarde, preso por um grupo de homens que inclui o seu antigo pupilo. Sem o patriarca, Parvana, sua mãe, irmã mais velha e irmão bebé vêem-se encurralados em casa pois, sem companhia masculina do seu patriarca, as mulheres estão proibidas de sair à rua. Para resolver o problema, Parvana corta o cabelo e finge ser um rapaz, vestindo as roupas que em tempos pertenceram ao seu irmão mais velho, cuja morte assombra o filme mesmo que os detalhes dela permaneçam vagos e indefinidos até ao clímax.

Apesar do que se pode dizer sobre o tema de “A Ganha-Pão”, este é um filme para um público infantil, centrando-se na perspetiva juvenil de Parvana e usando, tal como ela, o esplendor escapista dos conto-de-fadas e histórias fantásticas para lidar com o sofrimento causado por um mundo injusto. Com isso dito, este é também um filme que jamais se mostra condescendente para com o seu público alvo e retrata o medo e sofrimento das suas personagens com admirável candura e franqueza. Numa das cenas mais chocantes do filme, por exemplo, a mãe de Parvana sai de casa com a filha em busca de informações sobre o seu marido e é confrontada por um homem que a espanca no meio da rua.

Uma comovente canção elegíaca à inocência perdida de uma rapariga afegã, “A Ganha-Pão” é um belíssimo conto familiar sobre resiliência e coragem na presença de um regime monstruosamente misógino e desumano.

Tertúlia com os alunos do 7.º ano sobre o filme, registo de opiniões


Sem comentários:

Enviar um comentário