segunda-feira, 30 de abril de 2012

Passatempo “Avô, como era no teu tempo?”.


AVÔ,
COMO ERA NO TEU TEMPO?
No Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações 2012, e aproveitando a comemoração do Dia Mundial do Livro, a Direção-Geral do Livro e das Bibliotecas propõe o passatempo “Avô, como era no teu tempo?”.
Este passatempo dirige-se a alunos entre os 9 e os 13 anos e pretende estimular o diálogo entre gerações, visando ao mesmo tempo a recolha de memórias dos mais velhos através do olhar dos jovens.
Regulamento
1.    Podem concorrer a este passatempo jovens entre os 9 e os 13 anos, que deverão recolher, junto de um avô, avó ou de outro idoso que com eles conviva, uma história de tempos antigos. O tema é livre, podendo estar relacionado com a escola, a culinária, o amor, os transportes, a casa, etc.
2.    A história recolhida deve ser apresentada em texto, num máximo de uma folha A4, podendo ser enviada uma fotografia ou ilustração, ou ainda um documento vídeo ou áudio.
3.    O texto deve ser acompanhado dos seguintes elementos: tema escolhido, nome do jovem, morada, telefone, escola, biblioteca, nome do idoso e tipo de parentesco com o aluno.
4.    Os trabalhos deverão ser enviados por e-mail (dsl@dglb.pt) ou pelos CTT (Direção-Geral do Livro e das Bibliotecas, Edifício da Torre do Tombo, Alameda da Universidade, 1649-010 Lisboa) até 31 de Julho de 2012.
5.    Um júri, constituído por elementos da DGLB e do Plano Nacional de Leitura, selecionará os 5 melhores trabalhos. Os vencedores receberão prémios em Livros.

sexta-feira, 27 de abril de 2012


2012: Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações

    


Quem possui a faculdade de ver a beleza, não envelhece.




O homem começa a morrer na idade em que perde o entusiasmo.



O que viveu mais não é aquele que viveu até uma idade avançada, mas aquele que mais sentiu na vida.



Os que se amam profundamente, jamais envelhecem;
podem  morrer de velhice, mas morrem jovens.




A idade não nos protege contra o amor. Mas o amor, até certo ponto, protege-nos contra a idade.



Envelhecer ainda é a única maneira que se descobriu de viver muito tempo.



Nunca tive outra idade senão a do coração.




Viver é envelhecer, nada mais.




O coração nunca envelhece. Basta um serviço, um nada, um abraço e tudo nele se ilumina e aquece.




 O amor não tem idade; está sempre a nascer.




Não importa se a estação do ano muda...
Se o século vira, se o milênio é outro.
Se a idade aumenta...
Conserva a vontade de viver,
Não se chega a parte alguma sem ela."




Não quero adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto;
e velhos, para que nunca tenham pressa.




Viva pelo prazer! Nada envelhece tão bem quanto a felicidade!



Os prazeres são as únicas coisas que vale a pena serem vividas. Nada envelhece tão depressa como a felicidade.






http://pensador.uol.com.br/frases_sobre_idosos/4/

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Dia Mundial do Livro 2012


Dia Mundial do Livro 2012

A UNESCO escolheu o dia 23 de abril para festejar o livro, por se tratar de um dia emblemático para a literatura mundial. Foi a 23 de abril que, em 1616, morreu Miguel de Cervantes e que, em 1899, nasceu Vladimir Nabokov. Neste mesmo dia, também nasceu e morreu William Shakespeare, entre outros nomes que povoam as nossas estantes.

O dia 23 de Abril é celebrado em todo o Mundo, com a intenção de promover a leitura, os livros e os direitos de autor. A data foi proclamada pela UNESCO em 1996.

Comemorámos este dia – de entre todos os outros – porque sabemos que a vida pode ser mudada por um livro, por um autor;

O dia foi assinalado, com atividades de promoção do livro e da leitura.


 

Visita da Escritora Ana Maria Magalhães
          No dia 23 de abril, numa das atividades inserida na comemoração do dia Mundial do Livro, recebemos a visita da ilustre escritora Ana Maria Magalhães.
          No decorrer do segundo e terceiro períodos, a comunidade educativa envolveu-se na preparação das diversas iniciativas relacionadas com o trabalho desenvolvido, na sequência da leitura e exploração de diversas obras da autora.
          A propósito, foram expostos muitos trabalhos dos alunos, na biblioteca, realizados nas aulas de Língua Portuguesa, Educação Visual e Tecnológica e Clube de Artes, a partir das obras lidas.
          Durante as várias sessões, a escritora conversou com alunos do 4º ano, 2º e 3º Ciclos e os discentes tiveram oportunidade para colocar diversas questões relacionadas com as diferentes obras da escritora em parceria com Isabel Alçada. A escritora relatou algumas das aventuras que viveram durante as viagens que fizeram, para preparação dos livros. A sessão foi animada com perguntas e respostas da escritora, com exemplos de passagens de algumas obras da coleção “Uma Aventura”.
          Os presentes ficaram a saber, que os locais dos livros existem na realidade e que são sempre visitados pela autora presente e por Isabel Alçada, para melhor descreverem os espaços das peripécias das suas obras. As personagens principais são reais e eram discentes da escola onde ambas lecionavam há trinta anos.
          É neste ano 2012, que as escritoras celebram 30 anos de carreira e para comemorar esta data foi editado o livro “Uma Aventura no Sítio Errado”, o qual foi dado a conhecer.
          O contato com a escritora deu a todos a possibilidade de conhecer, em pormenor, a vida e obra de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada.
          Todos saíram do encontro visivelmente satisfeitos, com mais uma estimulante experiência, promotora de hábitos de leitura.
          Foi com uma enorme satisfação que as professoras organizadoras do encontro ouviram da autora palavras elogiosas acerca do trabalho desenvolvido e da forma como as turmas se comportaram, na biblioteca. Os nossos alunos estão, sem dúvida, de parabéns!
          A comunidade escolar ficou encantada com a simplicidade e a simpatia da escritora, que “abriu o seu baú de memórias” e a todos cativou com os seus relatos e vivências.
          Foram momentos que jamais serão esquecidos por todos os alunos e professores da escola, que participaram intensamente nesta atividade.
          Os nossos agradecimentos a todos os professores, alunos e assistentes operacionais envolvidos na organização desta iniciativa e que se empenharam na realização e sucesso da mesma.
          No final de cada sessão, a escritora foi bastante solicitada para dar autógrafos, nos livros adquiridos na feira da autora, que durante o 2º e 3º período, estiveram expostos, na biblioteca.
Comemoração do Dia Mundial do Livro.

Encontro com a Escritora
Ana Maria Magalhães

(veja os vídeos)


(veja as fotografias)

domingo, 22 de abril de 2012

terça-feira, 17 de abril de 2012

Ler+ para saber + sobre o 25 de Abril


Sinopse:


Explorando a metáfora da mudança no seio familiar com o nascimento de um bebé, este volume agrupa sete pequenas narrativas que, de forma original, dão voz a objectos inanimados, íntima e simbolicamente ligados à Revolução de Abril, ou ao tempo que a antecede. Percepcionados a partir de pontos de vista originais, alguns relativamente exíguos mas todos profundamente simbólicos, os acontecimentos da Revolução de Abril são recriados de forma acessível, com recurso a elementos reconhecíveis do quotidiano e, desta forma, tornados próximos do universo infantil.

Texto de Ana Margarida Ramos
Título: 7 x 25 Histórias da Liberdade


Autor(es):Margarida Fonseca Santos, Inês do Carmo

Ler+ para saber + sobre o 25 de Abril


Sinopse:


Esta narrativa breve, publicada pela primeira vez, em 1993, pela Associação 25 de Abril e pela APRIL, com suaves ilustrações de Manuela Bacelar, foi reeditada, agora, com uma componente pictórica mais dominante e forte, da autoria de Evelina Oliveira. Trata-se de uma obra que tem como leitmotiv a Memória e um momento crucial da História recente: a Revolução dos Cravos. Num registo vivo e emotivo, pontuado pela metáfora, pelas estruturas enumerativas polissindéticas e pelas notações sensoriais, nomeadamente auditivas e visuais, Manuel António Pina ficionaliza o antes, o durante e depois do 25 de Abril de 1974, deixando um apelo para que o «Dia da Liberdade» nunca deixe de ser lembrado e para que esse «País das Pessoas Tristes» não regresse. Detecta-se, neste conto, o cruzamento de um conjunto de binómios com importantes valências expressivas e simbólicas, designadmente: o estado de espírito “cinzento” das pessoas vs. o cenário “azul” que as envolve; a sua aparência fechada e silenciosa vs. a sua essência franca, aberta e dialogante; silêncio vs. canção; o passado vs. presente; o país das pessoas tristes vs. as terras dos visitantes; medo vs. coragem; opressão vs. liberdade; ditadura vs. democracia.

Texto de Sara Reis da Silva


Título: O tesouro


Autor(es): Manuel António Pina, Evelina Oliveira (Ilustrador)


Editora: Campo das Letras

Ler+ para saber + sobre o 25 de Abril


Sinopse:


Revisitação poética da história do 25 de Abril de 1974, com particular relevo para os antecedentes da Revolução, recriando a vida em Portugal durante a vigência do Estado Novo, Romance do 25 de Abril, de João Pedro Mésseder, sublinha ainda as consequências trágicas desse longo período da História portuguesa contemporânea, como as perseguições políticas, a censura e a Guerra Colonial, entre outros aspectos. A opção pelo "romance", enquanto género da literatura tradicional, permite a valorização da memória e do cariz épico da história narrada, destinada a perdurar pela transmissão de geração em geração. Com ilustrações de Alex Gozblau, o livro ganha uma especial identidade, vendo sublinhada a dimensão referencial da narrativa através da representação iconográfica fiel das figuras cimeiras do Estado Novo. As ilustrações sugerem de forma particularmente intensa a transição entre a Ditadura e a Liberdade, servindo-se da variação cromática com evidentes intenções semânticas e pragmáticas. Vejam-se, como elementos claramente significativos do ponto de vista visual, a articulação entre a capa e a contracapa, assim como a leitura das guardas iniciais e finais, retomando alguns dos motivos simbólicos mais significativos da época revisitada.

Texto de Ana Margarida Ramos



Título: Romance do 25 de Abril


Autor: João Pedro Mésseder


ILUSTRADOR: Alex GoZblou


Editor: Editorial Caminho

Ler+ para saber + sobre o 25 de Abril

Sinopse:


Este livro, com ilustrações de João Abel Manta, que reforçam o caráter documental da publicação, assume-se como um testemunho pessoal das memórias de Abril, sobrepondo-se, de forma consciente e voluntária, o fatual ao ficional, dando conta do significado simbólico da data e das consequências que teve para Portugal e para os portugueses, permitindo ao destinatário jovem tomar conhecimento de uma realidade aparentemente longínqua, mas crucial para a compreensão do momento atual. Nesta medida, são, sempre que possível, estabelecidas analogias com a realidade presente e com a vivência quotidiana do leitor, convidado a manter vivo o espírito de liberdade e de tolerância e os ideais da Revolução. Desde os antecedentes da Revolução, com especial destaque para a censura, para a emigração forçada dos jovens em resultado da pobreza e da opressão, para as perseguições políticas e para a guerra colonial, o autor percorre os momentos mais emblemáticos que caracterizaram este período.

Texto de: Ana Margarida Ramos

Título: O 25 de Abril Contado às Crianças… E aos Outros


Autor(es): José Jorge Letria, João Abel Manta (Ilustrador)


Editora:Terramar

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Dia Mundial da Poesia (21 de Março)

O Dia Mundial da Poesia foi comemorado na biblioteca escolar,  com a leitura, exposição e recolha de poemas,  de autores portugueses e estrangeiros, escolhidos pelos alunos. Vivenciaram-se momentos mágicos de poesia, acompanhados por música, proporcionados pelos professores Isabel Almeida, Marina Mendonça, Sandra Ribeiro, Saúl Costa, Pedro Serrano,  Dr João Fraga (Representante da Associação de Pais) e Aurora Gralheiro, (utente da A.R.C.A.)

Tempo oportuno para a apresentação do Livro de Poesia: Amores E Desamores de Cátia Oliveira e de alguns colegas do 6ºano de escolaridade.

Os alunos do 6ºB, acompanhados com  a sua professora de Língua Portuguesa, Ana Paula Dionísio, foram os responsáveis por dar voz  a este livro, através das palavras ditas e declamadas dos seus próprios poemas e que lindos poemas.

Os professores de Educação Musical, Saúl Costa e Pedro Serrano ajudaram a emocionar a plateia. Os felizardos que assistiram às duas sessões realizadas foram os alunos do 2º,3ºe 4ºanos e do 2ºe 3ºciclos da Escola Sede. 

Durante a semana da leitura, muitos  alunos recitaram poemas em português, espanhol, e inglês e  partilharam-nos  com os colegas de outras turmas. Com muita alegria e entusiasmo, os alunos do 2º e 3ºciclos realizaram um bonito momento de poesia!

Foi também uma oportunidade para divulgar poemas de poetas portugueses e estrangeiros, escolhidos pelos alunos.

Esta atividade foi organizada em direta colaboração com os professores do Departamento de Línguas, a quem agradecemos.

A equipa da biblioteca, agradece ainda, as presenças do Representante da Associação de Pais, Dr João Fraga e Aurora Gralheiro, utente da A.R.C.A., que muito honraram a comunidade escolar com a sua mestria e talento.

Pela biblioteca, passaram grandes poetas como: Eugénio de Andrade, Fernando Pessoa, Luís de Camões, Sophia de Mello Breyner Andresen, Luísa Ducla Soares, entre outros …

Os alunos revelaram muito interesse pela atividade e aplaudiram todos os intervenientes, que lhes revelaram o gosto pela poesia.

Agora só temos que repetir a proeza!                                              

            Do momento, ficam as fotos.