quinta-feira, 21 de março de 2013


José Jorge Letria

MAR PORTUGUÊS
Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quere passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.
Fernando Pessoa


As Lágrimas São Netas Do Mar

Vieram dizer ao Mar
que o Sal
andava a portar-se mal.

Quem veio meter
minhocas na cabeça do velho Mar
foi a Areia e a Espuma.
Tudo porque o Sal
era bonito
e não lhes ligava nenhuma.

De queixinha em queixinha,
disseram ao Mar
que o Sal
tinha uma namoradinha.


Chamava-se Gota de Água.
Era linda,
branca, cristalina
e tinha vindo do Céu Azul.

As duas,
com dores de cotovelo,
contaram ao Mar
as conversas de amor
que tinham ouvido
quando o Sal estava a namorar
muito entretido.

Então,
a Areia disse que a Gota de Água
falou assim para o Sal:
Meu bem amado,
se quiseres casar comigo
deixarás de ser salgado.

E a Espuma disse que o Sal respondeu à Gota de Água:
Minha ternura,
por ti deito o salgado fora
e fico uma doçura.

E neste disse-que-disse,
as duas marotas aproveitaram a maré e
de tal maneira
atazanaram o velho,
que os seus cabelos ficaram em pé.

- O Sal virar doçura? – pensou o Pai Mar.
E, ao pensar nisto,
deixou entrar a tristeza e a amargura
no seu imenso coração.

O Pai Mar nem queria acreditar.
Então,
ele,
pai,
criou o Sal, desde catraio até homem feito,
feito para conservar
a beleza e a saúde dos habitantes do seu reino
- os peixes –
e o rapaz queria tornar-se doçaria?
Não podia!!!

Chamou o filho e disse-lhe:
- Filho, tem paciência,
se continuas com o namoro,
considero desobediência.

O Sal
fez ouvidos de mercador,
encolheu os ombros,
e continuou o seu grande amor…
pela Gotinha de Água.

Ao saber
o que o filho tinha decidido,
o Mar ficou bravo,
enraivecido,
tornou-se turbilhão, e foi grande a aflição:
as Ondas andaram numa fona,
os Mexilhões levaram tapona,
a Baleia veio respirar à tona,
um Cavalo-Marinho
tropeçou num penedo e partiu o focinho.
Até uma Gaivota,
de perna manca,
que era vizinha do Mar,
teve de dar à perna para não se afogar.

O velho Mar,
amargurado e furioso,
pôs o filho fora de casa,
em terra.

Mas o sal não se importou.
Casou.
Mas, como não havia casas para alugar,
o Sal e a Gota de Água
foram morar
para os olhos das pessoas.

É por isso
que, quando estamos tristes e amargurados nos nossos corações,
choramos.
E as nossa lágrimas
são salgadas
porque são filhas do Sal e da Gota de Água
e… netas do Mar.

In “Para Sonhar com Borboletas Azuis”
de José Vaz com ilustrações de Luisa Brandão

terça-feira, 19 de março de 2013


 
Ter um Pai! É ter na vida
Uma luz por entre escolhos;
É ter dois olhos no mundo
Que veem pelos nossos olhos!

Ter um Pai ! Um coração
Que apenas amor encerra,
É ver Deus, no mundo vil,
É ter os céus cá na terra!
 
Ter um Pai ! Nunca se perde
Aquela santa afeição,
Sempre a mesma, quer o filho
Seja um santo ou um ladrão;
 
Talvez maior, sendo infame
O filho que é desprezado
Pelo mundo ; pois um Pai
Perdoa ao mais desgraçado!

Ter um Pai ! Um santo orgulho
Pró coração que lhe quer
Um orgulho que não cabe
Num coração de mulher!

Embora ele seja imenso
Vogando pelo ideal,
O coração que me deste
Ó Pai bondoso é leal!  

Ter um Pai ! Doce poema
Dum sonho bendito e santo
Nestas letras pequeninas,
Astros dum céu todo encanto!
 
Ter um Pai ! Os órfãozinhos
Não conhecem este amor!
Por mo fazer conhecer,
Bendito seja o Senhor!
 
FLORBELA ESPANCA

 
José Jorge Letria
 
Feira do Livro na Biblioteca

A Biblioteca do Agrupamento de Escolas de Santa Cruz da Trapa promoveu mais uma Feira do Livro, que decorreu de 11 a 15 de março de 2013, destinada a todos os elementos da comunidade escolar.
Durante toda a semana, alunos, professores, assistentes operacionais, encarregados de educação e comunidade puderam visitar a biblioteca e adquirir obras com um desconto de 10% sobre o preço de capa.
A feira era constituída por livros de autores portugueses e estrangeiros, de literatura infantil, juvenil e para adultos.
Esta feira teve como objetivo sensibilizar a comunidade educativa para a importância da leitura na sua formação.
A atividade teve uma grande adesão e o saldo foi bastante positivo.
 
 

segunda-feira, 18 de março de 2013


ENCONTRO COM O ESCRITOR E ILUSTRADOR
PEDRO SEROMENHO



No passado dia 15 de março, os alunos do 1º. e 2º. Ciclos tiveram a oportunidade de participar num encontro com o escritor Pedro Seromenho, tendo dinamizado duas sessões de animação da leitura e de apresentação da sua Obra.
            Este jovem escritor tem um percurso caricato: licenciou-se em economia, mas sentia que não era feliz na sua profissão. Um dia, decidiu dedicar-se a fazer o que realmente gostava e tinha paixão: a escrita e a ilustração.
Tem percorrido muitas escolas, bibliotecas pelo país, criou o seu projeto editorial: A Paleta de Letras. O seu exemplo de vida mostra-nos, que nem tudo é fácil e que é preciso persistência para conquistarmos os nossos sonhos.
Foi uma sessão agradável e descontraída, onde se falou de livros. Estes servem, sobretudo, para termos prazer e para nos divertirmos. Mas também para sonhar e viajar. E foi o que aconteceu.
            O Escritor e Ilustrador deliciou todos quantos o ouviram com as suas histórias e com as suas ilustrações, que nos levaram numa maravilhosa viagem pelo mundo encantado dos sonhos e da imaginação. Os seus livros mais mágicos nascem de ideias simples. “Porque é que os animais não conduzem?” Segundo nos explicou o escritor, a ideia base para esta história foi fazer uma lista com animais que o autor conhecia e, do outro, uma lista com os defeitos das pessoas a conduzir. Mas porque é que os animais não conduzem? Se calhar é porque não têm carta de condução… Aqui fica o conselho: Não faças como os animais, aprende as regras e os sinais!!!
Os alunos viajaram ainda por outros mundos fantásticos e muito divertidos. E que dizer de “Maria Botelha, a garrafa aventureira”; “O Palhaço Avaria e o Planeta Bateria”; “Felismina Cartolina e João Papelão” e “Chico Fantástico, Super Herói de Plástico? ” São os quatro livros que compõem a coleção Reciclomania. Um livro azul, um verde, um amarelo e outro vermelho são afinal as cores dos ecopontos. Afinal, é bom termos a mania de reciclar! A magia desta aventura por quatro mundos de reciclagem é ilustrada por quatro ilustradores, que contam a viagem à sua maneira. O livro azul é uma história de paixão entre a Felismina Cartolina e o João Papelão. É uma paródia ao Romeu e Julieta, mas com um final feliz. A história do livro amarelo passa-se na Poliméria onde vivem os Polímeros, os plásticos. Neste reino fantástico, as árvores dão frutos em sacos de plástico, as vacas dão leite em pacotes e até as galinhas põem ovos de plástico. O livro verde conta a história de uma garrafa, que de tão aventureira que é, decide mergulhar no rio e viajar até ao mar, mas tinha um problema… é que não sabia nadar! Mas alguém vai salvar esta garrafa, pois ela vai entrar no mundo da reciclagem. O último livro que é o vermelho, o das pilhas, leva-nos até ao espaço onde encontramos as coisas mais estranhas: elefantes com trombas que são aspiradores.
Depois o autor falou-nos do seu romance juvenil “900, História de um Rei ” que ele queria que fosse uma aventura que pudesse transportar o leitor até há 900 anos atrás, aos tempos medievais. Neste livro, vamos cavalgando de batalha em batalha e reconstruindo a História de Portugal.
A grande oportunidade de escrita surgiu, há sete anos atrás, com “ A Nascente de Tinta”. É o livro que tem mais simbolismo, é o mais mágico e também o mais autobiográfico. O Gonçalo, protagonista desta história é o Pedro, o escritor, quando era pequeno, com os seus medos e os seus sonhos. A história começa com um rapaz que tem um  avô que é pescador e, um dia, lhe traz um búzio. Este búzio transforma-se num mundo secreto. Depois do sucesso do livro “A Nascente de Tinta, o autor referiu o mundo do sonho e da imaginação com “O Reino do Silêncio”.
Pedro Seromenho apresentou-nos o seu mais recente projeto: “A Grande Fábrica de Palavras”, publicado pela editora do autor, a Paleta de Letras. Os alunos viajaram por um país onde as pessoas apenas falavam após engolirem as palavras que queriam dizer. Onde um menino pobre estava apaixonado, mas por não poder comprar essas palavras, era ultrapassado pelo seu rival que, com todo o seu dinheiro enchia a sua amada de lindas palavras. Mas, tal como acontece em todas as histórias, no final os dois ficaram apaixonados e felizes.
Ao longo da sessão, o autor falou-nos também da sua outra grande paixão que é ilustrar. Era um sonho de criança “ Quando for grande, quero ser pinteiro!”-dizia, mas que não se concretizou de imediato. Lembrou que nada se faz só com inspiração e que é preciso muito esforço e dedicação para alcançarmos os nossos sonhos.
O diálogo fácil que naturalmente se estabeleceu com os alunos foi muito animado e esclarecedor. O mais surpreendente, porém, foi ver nascer, ao vivo, a ilustração de "A Nascente de Tinta".
Ficámos com a recordação das suas ilustrações, para podermos navegar em mais uma aventura, porque através da imaginação podemos chegar onde nós quisermos...
Houve ainda lugar para as perguntas e curiosidades que, entre admiração e sorrisos, pareciam não ter fim.
No final, a sessão de autógrafos e dedicatórias não poderia deixar de ser, como o resto, única e original.
No final do encontro, deixou-nos de recordação pequenas ilustrações nas capas dos seus livros, que guardaremos com carinho nas nossas estantes, ansiando pelo dia em que teremos a oportunidade de o reencontrar.
Ficaram com vontade de espreitar os seus livros? A Biblioteca Escolar dispõe, no seu fundo documental, de todas as obras do escritor!
Passem por lá e BOAS LEITURAS!
Foi um dia especial porque ficamos a conhecer o autor dos livros, que nas últimas semanas nos acompanharam em maravilhosas aventuras.
Foi um encontro inesquecível e cheio de magia!
No fim todos ficaram com vontade de mais...
Aqui ficam as fotos de uma manhã muito bem passada com o escritor Pedro Seromenho.

 



domingo, 17 de março de 2013


Encontro com a escritora Elisabete Jacinto

No âmbito da semana da leitura 2013, a Direção da Escola e a Equipa da Biblioteca Escolar, em parceria com a Plátano Editora promoveram, no dia onze de março, um encontro com a escritora Elisabete Jacinto.
A autora do livro juvenil "Irina no Master Rali" e coautora da Banda Desenhada "Os Portugas no Dakar I "e os "Os Portugas no Dakar II", conversou com os alunos das turmas do 7.º, 8.º e 9.º anos.
Graças à já longa experiência de participação em ralis, a escritora editou até agora três livros, que se encontraram à venda na Biblioteca Escolar, a preços bem convidativos. Elisabete Jacinto, geógrafa de formação, é também autora de vários manuais escolares.
Os relatos da vivência do verdadeiro Dakar entusiasmaram todos aqueles que assistiram a este encontro.
Com um discurso fluente, imagens apelativas e uma constante solicitação dos presentes, fez-nos viajar através de África, partilhando as dificuldades e os triunfos da já longa experiência de participação em ralis.
A sua simpatia, a clareza do discurso, foram essenciais para prender a atenção dos alunos e dos professores.
No final da sua apresentação, foram inúmeras e variadas as perguntas, a que se seguiu uma sessão de autógrafos.


sábado, 16 de março de 2013





ENCONTRO DE LEITURAS
COM OS ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO

Partilha de leituras

Pais e Encarregados de Educação a partilharem leituras na Biblioteca Escolar

A realização da mais uma Semana da Leitura não ficaria completa sem a colaboração dos Pais e Encarregados de Educação.
Assim, a Equipa da Biblioteca Escolar, através da ação dos Diretores de Turma/Professores titulares do 1º CEB/ Educadoras de Infância, solicitou a colaboração dos Encarregados de Educação, que quisessem deslocar-se à Biblioteca da Escola (à turma do seu educando) ler um conto/texto da sua preferência.
O convite foi aceite, por um elevado número de EE, que assim, trouxeram de casa o livro, transformando a biblioteca, a sala de aula, num espaço motivador e de incentivo ao prazer da leitura.
Destacamos, positivamente, a partilha da leitura entre pais e filhos, a vinda à escola da família, a cumplicidade entre pares, a promoção do saber ouvir e a troca de saberes. Ao longo destes dias, a alegria, proximidade e gosto pela leitura foram fomentados.
A todos os que participaram e que adoram ler, agradecemos, pois apenas assim, teremos bons leitores, no futuro.
A Escola promove a leitura, mas os bons leitores apenas se conseguem, com a participação de todos.



A nossa Escola comemorou a SEMANA DA LEITURA, com o mote escolhido "Na Onda das Leituras".
O tema principal foi O MAR...



A poesia irrompeu Alunos e professores mergulharam nas Ondas de Poesia. Uma Maré de Poesia.

 Semana da Leitura 2013

Decorreu na nossa Escola, de 11 a 15 de março, a Semana da Leitura, sempre com a missão de promover o livro e incentivar o gosto pela leitura e pela escrita.
Neste sentido, foram dinamizadas, durante toda a semana, inúmeras e interessantes atividades na Biblioteca Escolar. Alunos, professores e restante comunidade educativa puderam ler, declamar e ouvir recitais de poesia. Conhecemos escritores e contadores de histórias, ouvimos poemas e histórias de autores nacionais e estrangeiros, comprámos livros… Foi uma semana esplêndida!

Zita Leal (biografia)

Nascida em Peniche, a 24 de Julho de 1938, Zita Leal sempre teve uma postura inconformada perante a sociedade. Aos cinco anos de idade veio viver para Aveiro, onde frequentou a Escola Primária da Vera Cruz. Prosseguiu os estudos no Liceu José Estêvão, dedicando grande parte do tempo às "teatradas". O Liceu foi a sua "Escola de Amor ao outro": a visita semanal aos mais carenciados, os berços entregues aos bebés nascidos "quase nas palhinhas", visitas de amizade aos presos, foram ações que levou a cabo na sua juventude, constatando, hoje, que este aprender a solidariedade faz falta nas nossas Escolas.
A enorme aptidão para a Literatura levou Zita Leal a seguir o Curso de Português - Francês na Universidade de Aveiro e, mais tarde, obteve a Licenciatura em Línguas e Literaturas Modernas pela Universidade Aberta. Lecionou nas Escolas Preparatórias de Ílhavo, Vagos, Mira, Oliveira de Azeméis, S. João da Madeira, Arcos de Valdevez, Escolas Secundárias n.º 1 e José Estêvão (Aveiro) e, em final de carreira, na EB 2.3 da Gafanha da Nazaré.
Aposentada desde 2005, a sua ligação ao Ensino permanece viva: conta histórias, faz poesia com crianças, dramatizações nas Escolas. Nos últimos anos tem visitado semanalmente a EB 1 da Barra e continua a ser frequente vê-la declamar poesia no âmbito da Comemoração do Dia Mundial da Poesia pois pertencia à Associação Rota da Poesia e integra o Grupo Poético de Aveiro, colaborando regularmente nos eventos culturais realizados pelo Grupo. Dona de um espírito aberto e empreendedor e de uma presença altiloquente, ainda hoje é evidente a paixão que nutre pelo ensino e por todas as crianças às quais reconhece ter tido o prazer de ensinar.
 Aos filhos e netos pretende deixar aquele que considera o mais importante legado de todos, manifesto através da seguinte mensagem: “Vale a pena a vida. Espalhem o amor entre todos e serão felizes!"
 
Encontro com as contadoras de histórias
 
 
  
 


          Nos dias 11 e 12 de março, no âmbito da comemoração da Semana da Leitura, todos os alunos do Agrupamento tiveram o prazer e a honra de ouvir contar histórias e deliciosas sessões de poesia, declamadas pela Professoras Zita Leal (convidada) e Isabel Almeida.
          Os alunos, sempre atentos, aderiram com muito entusiasmo, tomando um papel ativo na atividade e, interagindo com as contadoras de histórias, que estimularam a imaginação e a criatividade dos mais pequenos.
          Um bem-haja às ilustres convidadas, que nos proporcionaram, com mestria, momentos de alegria e de muita aprendizagem, evidenciando como se dá vida a uma história.
          Esta iniciativa foi avaliada pelos participantes como muito interessante.

 


segunda-feira, 11 de março de 2013

 
Leitura e divulgação de obras sobre a temática do mar.



 




Mar

 Tu perguntas, e eu não sei,
eu também não sei o que é o mar.

É talvez uma lágrima caída dos meus olhos
ao reler uma carta, quando é de noite.
Os teus dentes, talvez os teus dentes,
miúdos, brancos dentes, sejam o mar,
um mar pequeno e frágil,
afável, diáfano,
no entanto sem música.

É evidente que minha mãe me chama
quando uma onda e outra onda e outra
desfaz o seu corpo contra o meu corpo.
Então o mar é carícia,
luz molhada onde desperta
meu coração recente.

Às vezes o mar é uma figura branca
cintilando entre os rochedos.
Não sei se fita a água
ou se procura
um beijo entre conchas transparentes.

Não, o mar não é nardo nem açucena.
É um adolescente morto
de lábios abertos aos lábios de espuma.
É sangue,
sangue onde a luz se esconde
para amar outra luz sobre as areias.

Um pedaço de lua insiste,
insiste e sobe lenta arrastando a noite.
Os cabelos de minha mãe desprendem-se,
espalham-se na água,
alisados por uma brisa
que nasce exactamente no meu coração.
O mar volta a ser pequeno e meu,
anémona perfeita, abrindo nos meus dedos.

Eu também não sei o que é o mar.
Aguardo a madrugada, impaciente,
os pés descalços na areia.

Eugénio de Andrade, Poesia toda
 



A Menina do Mar é o primeiro conto de Sophia para a infância e foi editado, pela primeira vez, em 1958.
Tendo a praia como cenário, este conto revela-nos uma história de amizade entre um rapaz e a Menina do Mar. Cada um vive no seu mundo, o rapaz na terra e a menina no mar, mas a curiosidade de ambos leva-os a querer partilhar essas diferenças: a menina fica a saber o que é o amor, a saudade e a alegria; o rapaz aceita viver com ela no fundo do mar.




sexta-feira, 8 de março de 2013


Feira do livro na escola

A realização de feiras do livro na escola proporciona um contacto vivo e direto com grande número de títulos adequados às diferentes idades, incentivando os alunos ao manuseamento, à apreciação dos livros expostos e à prática de escolhas fundamentadas.
Os professores reconheceram há muito a vantagem de incentivar os alunos e as famílias a adquirirem livros, que iniciem ou enriqueçam a sua biblioteca pessoal.
A realização de feiras do livro na escola, prática comum na biblioteca, tem vários tipos de vantagens:

• Proporciona um contacto vivo e direto, com grande número de títulos adequados às diferentes idades.
• Assegura a presença de novidades, que eventualmente a biblioteca escolar ainda não possua, e a presença de títulos menos recentes, que já não se encontrem disponíveis em livrarias ou supermercados, tornando mais amplo o leque de escolhas.
• Incentiva o manuseamento e a apreciação dos livros expostos, por parte dos alunos, para se habituarem a fazer escolhas fundamentadas.
• Beneficia do aconselhamento dos professores, no caso de serem solicitados.
• Possibilita a compra a preços mais convidativos, graças aos descontos que os fornecedores (editores ou livreiros) sempre oferecem.
• Permite que a escola utilize os lucros da feira, para adquirir livros para a biblioteca.
• Abre a possibilidade de mobilizar os pais para que ofereçam livros aos filhos.

Feira do Livro



quarta-feira, 6 de março de 2013

segunda-feira, 4 de março de 2013


Encontro com o escritor e ilustrador
Pedro Seromenho

No próximo dia 15 de março, pelas 9h30 e 11h00, o Escritor infanto-juvenil e ilustrador, Pedro Seromenho apresentará, para todos os alunos do 1º e 2º ciclos da Escola Sede, as obras “A Estrelinha Pálida,” “A Nascente da Tinta,” “O Reino do Silêncio”, a coleção “Reciclomania”, uma abordagem pedagógica às questões ambientais e à reciclagem e “Porque é que os animais não conduzem?”. Esta obra aborda a segurança e prevenção rodoviária e é aconselhada pelo Plano Nacional de Leitura.
Paralelamente, o autor que é também ilustrador de algumas das suas obras, realizará um pequeno ateliê de ilustração, apelando à participação dos alunos, à medida que vai desenhando, seguindo-se uma sessão de autógrafos.

Pedro Seromenho Rocha, de nacionalidade portuguesa, nasceu em 1975, na cidade de Salisbúria (Harare), República do Zimbabué. Com apenas dois anos de idade fixou-se em Tavira e mais tarde em Braga, onde reside atualmente.

Embora se tenha formado em Economia, desde muito cedo demonstrou excecionais apetências pelo universo da escrita e da pintura, colaborando em inúmeras publicações e exposições como escritor e ilustrador.

sábado, 2 de março de 2013


Autora na Escola - Elisabete Jacinto

Na próxima Segunda-feira, dia 11 de março, a Escola contará com a presença da autora/piloto Elisabete Jacinto, para mais um Encontro com Escritores.

Elisabete Jacinto, conhecida por ser piloto de ralis, é também autora dos livros de Banda Desenhada “Os Portugas No Dakar 1”, “Os Portugas No Dakar 2” e “Irina no Master Rali”, que agora vem apresentar junto dos nossos alunos e com quem irá partilhar algumas das suas experiências e histórias.