terça-feira, 31 de março de 2015

Páscoa feliz!




               A Equipa da Biblioteca deseja a todos os utilizadores uma feliz e doce Páscoa!


segunda-feira, 30 de março de 2015

Oficina de Poesia


 "Poesia são as palavras a brincar…uma oficina de poesia”

        No dia 20 de março, no âmbito da comemoração da Semana da Leitura e do dia Mundial da Poesia, todos os alunos do 2º ciclo e 4º ano tiveram o prazer e a honra de ouvir deliciosas sessões de poesia, declamadas pelas Professoras Isabel Ribau e Paula Almeida.
Esta atividade foi desenvolvida com as turmas para dar a conhecer poemas e poetas e tentar acabar com a ideia de que a poesia é uma “coisa chata”, assim como levar os alunos a acreditarem que são capazes de escrever poesia. Como refere Luísa Ducla Soares, que “a poesia é o que as palavras levam o nosso coração a dizer”
Pela biblioteca, passaram grandes poetas como Eugénio de Andrade, Fernando Pessoa, Luís de Camões, Sophia de Mello Breyner Andresen, Luísa Ducla Soares entre outros…
Os alunos revelaram muito interesse pela atividade e aplaudiram os colegas e professoras que lhes revelaram o gosto pela poesia.

      Agora só temos quer repetir a proeza!
      Parabéns a todos os alunos que participaram nesta iniciativa!
      Um agradecimento especial às professoras Paula Almeida e Isabel Ribau que orientaram e prepararam a atividade, com todo o rigor e entusiasmo.

  Do momento, ficam as fotos.

sábado, 28 de março de 2015

21 DE MARÇO | DIA MUNDIAL DA POESIA

Concurso de Poesia- "OS LUGARES DA NOSSA TERRA"
Vencedores do Concurso


         No intuito de promover a poesia e valorizar esta expressão literária entre a comunidade escolar, e como forma de comemorar o Dia Mundial da Poesia, celebrado a 21 de março, a equipa da biblioteca escolar e as docentes de Português, dinamizaram o Concurso de Poesia. Este Concurso destinava-se a todos os alunos, professores, funcionários e pais/ encarregados de educação do Agrupamento de Escolas de Santa Cruz da Trapa.
        Os textos a elaborar obedeciam à seguinte temática: OS LUGARES DA NOSSA TERRA à semelhança do livro de poesia, SANTA CRUZ DA TRAPA Verso E Reverso (Guia Poético da Nossa Terra), do escritor Carlos Almeida.
        Os trabalhos premiados foram lidos no recital de poesia, que decorreu na véspera do Dia Mundial da Poesia- dia 20 de março (6ªFeira), na biblioteca, pelos alunos vencedores.
Assim, os alunos premiados no concurso "OS LUGARES DA NOSSA TERRA" foram os seguintes:

Catarina Trindade Almeida, do 8.ºA, com o poema, intitulado:

Dianteiro

Dianteiro, minha terra,
minha terra onde nasci,
Se fosse para escolher terra
O Dianteiro eu escolhia.

Não há terra igual
Com tanta alegria,
Porque só nesta terra existe fantasia.

19 de março,
Dia de celebração,
Em nenhum outro dia
Há tanta agitação.

São José é padroeiro,
Padroeiro desta animação,
Para quem se quer divertir
Nada melhor que ir à procissão.


Diogo António Almeida Reis, do 8.ºA, com o poema, intitulado:

Santa Cruz da trapa

Santa Cruz da Trapa, vila pequena
No centro de Lafões,
Paisagem serena
Que zela pelas tradições.

Terra banhada pelo rio Baroso,
Abraçada pela serra da Gralheira e da Arada,
Imaginação é um bem harmonioso
Que esta gente a sente amada.

As construções existentes
Na história se relembram,
Para as populações presentes
As instituições se apresentam.

Gabriela Correia, do 8.ºA, com o poema, intitulado:

Serrazes minha terra

Serrazes, minha terra,
Aldeia mãe de belos encantos,
Toda ela sempre cheia
De amor e alegria.

Na tua pedra escrita,
Escondes os teus segredos.
Entre círculos e traços
 Se escreve o teu passado.

Terra de gente humilde
Que nos campos procuram o seu sustento,
Semeando e colhendo
O seu alimento.

O verde das tuas paisagens
Enche o coração de esperança.
Nas sombras das tuas árvores
Ficam as memórias de criança.     






Pelo 7º ano consecutivo, o Plano Nacional de Leitura (PNL) e o Centro Cultural de Belém (CCB) lançaram o desafio aos alunos dos diversos níveis de ensino, no sentido de estes elaborarem poemas originais e, com eles, assinalar-se o Dia Mundial da Poesia.
         O Agrupamento de Escolas de Santa Cruz da Trapa aderiu a esta iniciativa e foi com enorme agrado que recebeu a notícia da atribuição do 2º Prémio no concurso "Faça Lá um Poema", à aluna Iuna Maya Dreyer, do 8.ºB, com o poema: Dois amigos diferentes, representante do 3.º ciclo do Agrupamento de Escolas de Santa Cruz da Trapa.

Dois amigos diferentes

Era uma vez…
Num lindo dia de verão
Um mestre de xadrez
Conhecido por Zarranfião.

Zarranfião era homem alto
E, acima de tudo, era magrinho
Trazia roupas cor de asfalto
E cabelo à porco-espinho.


Tinha o pai finlandês
A sua mãe era da Somália
Ele próprio era francês
Mas morava na Austrália.

Ele era bem teimoso,
Não gostava de perder.
Notava-se que era guloso
Pois passava a vida a comer.

Outro seu grande defeito
Era ser um trapalhão
Não passava por um sujeito
Sem lhe dar um encontrão.

Na cidade onde ele vivia
Morava um homem de nome Crombo
Que Zarranfião não conhecia
E que na banda tocava bombo.

Ao contrário de Zarranfião
Crombo crescera para os lados.
Mas os que o chamavam de «balão»
Ficavam mesmo tramados.

Pois Franinhas protegia
O seu dono como um cão
E era feroz, esta cria,
Uma cria de leão.

E Crombo, como já disse há bocado,
Era muito muito baixo
E mesmo assim era pesado
Que nem o Franinhas o mandava abaixo.

Ele era de carácter calmo
Uma pessoa muito bondosa
Com paciência para tudo e todos
Tocava numa banda famosa.

Nascido nesta cidade
Todos o lá conheciam
E pessoas de qualquer idade
Ao pé dele se riam.

E neste tal dia de verão
Crombo foi ao restaurante chinês
Onde estava Zarranfião
Sozinho a jogar xadrez.

Crombo quis ir lá para ver
E foi para a mesa de Zarranfião
Que, apesar de sem querer
Lhe deu um encontrão.

E foi assim que se encontraram
Num dos restaurantes locais
Dois homens que se tornaram amigos
Mas que em nada eram iguais.


Ver listagem de vencedores aqui

Madalena Azevedo Baptista, do 5ºA participou e ficou apurada na fase de escola, no Concurso Faça Lá um Poema 2015, promovido pelo Plano Nacional de Leitura (PNL), como representante do 2.º ciclo do Agrupamento de Escolas de Santa Cruz da Trapa, com o poema “O Amor”.

O poema vencedor:
O AMOR

O amor é como o sol,
Pode dar apagões
Não digo que o amor é mole!
Apenas pode partir corações…

O amor faz chorar
O amor é dor
O amor não é só amar…
O amor tem muito mais valor!!!

Digam não à violência.
Digam não à solidão
O amor tem muita paciência
Só tens de dizer o que te vai no coração!

Quem escreveu este poema,
Sabe o que dói o amor…
O meu nome é Madalena
E o 5ºA é o melhor!


 CONCURSO NACIONAL DE LEITURA 2015- 1.ª Fase

Alunas apuradas para a 2ª fase – Finais Distritais

3º Ciclo

Marta Matos Ferreira- 8ºB
Maria Francisca Cabral– 7ºB
Rita Ustasch  Marques 7ºB


Entrega de prémios e de certificados de participação às alunas vencedoras do concurso Nacional de Leitura e do "Concurso Faça Lá um poema,2015"

Parabéns a todos os alunos que participaram nestas iniciativas!

Os alunos revelaram muito interesse pela atividade e aplaudiram os colegas e professores que lhes revelaram o gosto pela poesia. 
Os alunos também declamaram os seus próprios poemas e que lindos poemas.

Momentos mágicos de poesia proporcionados pelas professoras Isabel Ribau e Paula Almeida.

Estas iniciativas da Biblioteca Escolar foram recompensadas com o empenho demonstrado pelos alunos, professores, assistentes operacionais e com o superior cuidado prestado pela Direção do Agrupamento.
A todos o nosso bem-haja!


 Do momento, ficam as fotos.




sexta-feira, 27 de março de 2015

Semana da Leitura 2015- Palavras do Mundo

         
       Decorreu na nossa Escola, de 16 a 20 de março, a Semana da Leitura, sempre com a missão de promover o livro e incentivar o gosto pela leitura e pela escrita.
      Neste sentido, foram dinamizadas, durante toda a semana, inúmeras e interessantes atividades na Biblioteca Escolar. Alunos, professores puderam ler, declamar e ouvir recitais de poesia.
       Conhecemos escritores e contadores de histórias, ouvimos poemas e histórias de autores nacionais e estrangeiros, comprámos livros… Foi uma semana esplêndida!

Encontro com Carlos Almeida, professor, escritor e artista plástico

         No âmbito da "Semana da Leitura", a biblioteca escolar recebeu a visita do escritor Carlos Almeida, que esteve à conversa com todos os alunos do 3º ciclo. Dotado de simpatia extrema, Carlos Almeida conseguiu captar a atenção dos jovens alunos com quem dialogou e esclareceu sobre as suas obras e até a sua vida pessoal. Estas sessões com o escritor foram o culminar de um trabalho de exploração de alguns dos seus poemas, bem como a preparação de questões a colocar ao mesmo. Os alunos aderiram entusiasmados e foi um momento enriquecedor, onde se verificou a interação do  escritor com alunos.
        Esta atividade contribuiu positivamente para despertar o gosto pela leitura e pela escrita de poesia e foi um bom passo para a promoção da prática da leitura.
       As obras podiam ser adquiridas na biblioteca e foram autografadas pelo autor, no final da sessão.
      

     Do  momento, ficam as fotos.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Encontro com a escritora Ana Alexandre


        
         Ana Alexandre escreveu o livro Códigos e Sinais um romance histórico-policial, género que muito cativa os nossos leitores. A jovem escritora tem 16 anos, frequenta o 11º ano na Escola Secundária Alves Martins, na área de Ciências e Tecnologia. Gosta bastante de escrever e de ler, mas a área que pretende seguir é física. Reside em Viseu, na freguesia de  Rio de Loba.
       Começou a escrever o livro aos 12 anos, acabou-o aos 13 e publicou-o aos 14. Carlos Almeida, seu professor de História em Viseu, vaticina à autora um futuro promissor no panorama literário português.
     Sobre Códigos e Sinais, diz Carlos Almeida que é “uma história que viaja entre o período dramático da 2.ª Guerra Mundial e o tempo presente, com epílogo na cidade de Viseu”.     
      Esta jovem é um exemplo a seguir pela persistência que o ato de escrita exige e que tem de conciliar com o facto de ser estudante do 11.º ano. Uma promessa no nosso panorama literário que vem comprovar que a escola e a família conseguem, quando trabalham para um mesmo fim, desenvolver competências múltiplas nos jovens. Este aspeto alimenta-nos a esperança de uma escola melhor e consequentemente de uma sociedade também ela melhor.      



Encontro com a jovem escritora Ana Alexandre

      Este encontro foi promovido pela Biblioteca Escolar em articulação com o grupo disciplinar de Português, tendo como objetivo principal promover o livro, a leitura e o gosto pela escrita.
          A jovem escritora esteve, no dia 19 de março, na nossa biblioteca a apresentar o seu livro aos alunos das turmas do 3º ciclo.
         Ana Alexandre, uma jovem de 16 anos, escreveu o livro Códigos e Sinais um romance histórico-policial, género que muito cativa os nossos leitores. A sessão teve como base a apresentação do livro. O encontro permitiu conhecer esta jovem e deu azo a que o público colocasse as mais variadas questões quer sobre o seu processo de escrita quer sobre curiosidades diversas tendo em conta que o público se enquadrava sensivelmente na mesma faixa etária da autora.
         A sua presença proporcionou um momento muito interessante e agradável entre os alunos do 3º ciclo.
Do momento, ficam as fotos,


quarta-feira, 25 de março de 2015

Encontro com a escritora e professora Zita Leal

Zita Leal (biobibliografia)


Nascida em Peniche, a 24 de julho de 1938, Zita Leal sempre teve uma postura inconformada perante a sociedade. Aos cinco anos de idade veio viver para Aveiro, onde frequentou a Escola Primária da Vera Cruz. Prosseguiu os estudos no Liceu José Estevão. O Liceu foi a sua "Escola de Amor ao outro": a visita semanal aos mais carenciados, visitas de amizade aos presos, foram ações que levou a cabo na sua juventude, constatando, hoje, que este aprender a solidariedade faz falta nas nossas Escolas.
A enorme aptidão para a Literatura levou Zita Leal a seguir o Curso de Português - Francês na Universidade de Aveiro e, mais tarde, obteve a Licenciatura em Línguas e Literaturas Modernas pela Universidade Aberta. Lecionou nas Escolas Preparatórias de Ílhavo, Vagos, Mira, Oliveira de Azeméis, S. João da Madeira, Arcos de Valdevez, Escolas Secundárias n.º 1 e José Estêvão (Aveiro) e, em final de carreira, na EB 2.3 da Gafanha da Nazaré.
Aposentada desde 2005, a sua ligação ao ensino permanece viva: conta histórias, faz poesia com crianças, dramatizações nas Escolas. Nos últimos anos tem visitado semanalmente a EB 1 da Barra e continua a ser frequente vê-la declamar poesia no âmbito da Comemoração do Dia Mundial da Poesia pois pertence à Associação Rota da Poesia e integra o Grupo Poético de Aveiro, colaborando regularmente nos eventos culturais realizados pelo Grupo. Dona de um espírito aberto e empreendedor e de uma presença altiloquente, ainda hoje é evidente a paixão que nutre pelo ensino e por todas as crianças às quais reconhece ter tido o prazer de ensinar.
 Aos filhos e netos pretende deixar aquele que considera o mais importante legado de todos, manifesto através da seguinte mensagem: “Vale a pena a vida. Espalhem o amor entre todos e serão felizes!"

Zita Leal lança o primeiro livro aos 77 anos de idade



Tem 77 anos de vida, milhares de histórias para contar, uma paixão desmedida pela poesia e um coração bonito de se conhecer. É Zita Leal, professora aposentada, vocacionada para amar a vida e contagiar quem a rodeia e hoje apresenta o seu primeiro livro. “Filho” de uma conversa imprevista com uma menina que não gostava do seu nome, esta é a primeira vez que edita o que escreve.
Zita Leal apresenta a obra Joana e o seu nome mágico. Trata-se de um livro infantil. Uma incursão pela escrita que surge de uma sessão de poesia onde trocou palavras com uma jovem que não simpatizava muito com o seu nome.
         Dessa experiência nasceu a ideia de produzir um texto sobre a família. “Depois de escrever e quando leio pensei que não era um livro para crianças. É mais juvenil ou para adultos. Se ainda desse aulas gostaria de um livro assim, para explorar a imaginação dos miúdos. Aqui os conceitos são implícitos”
         A autora, que foi durante a sua vida profissional professora, fala de uma obra que retrata a família e as suas diferentes abordagens. “Dá para os miúdos falarem das suas vivências e para falar sobre a família. É uma história de amor encontrada numa caixa mágica que é a família. Acabei por ir buscar à família que estava dispersa o traço de união. Esta miúda, não gostando do nome Capucho e Tesouras, acaba por fazer a união da família”.


        Encontro com a escritora e professora Zita Leal com a apresentação/dramatização da sua obra Joana e o seu nome mágico, com a colaboração da professora Isabel Ribau, Jorge Neves e Leonor Capucho, para os alunos do 1º e 2º ciclos.
   

     Um bem-haja aos ilustres convidados, que nos proporcionaram, com mestria, momentos de alegria e de muita aprendizagem, evidenciando como se dá vida a uma história.
      Esta iniciativa foi avaliada pelos participantes como muito interessante.
      No final, houve sessão de autógrafos.
     
      Algumas fotos da atividade!





terça-feira, 24 de março de 2015

Semana da Leitura- Feira do Livro 2015

Feira do Livro na escola Sede e no Polo Pedagógico de Carvalhais.


Algumas fotos da atividade.


domingo, 15 de março de 2015

sábado, 14 de março de 2015

Encontro com Carlos Almeida,
professor, escritor e artista plástico



CARLOS ALMEIDA nasceu em Lisboa em 1960. Com raízes culturais e familiares sedeadas em Santa Cruz da Trapa, no concelho de S. Pedro do Sul. Vive desde 1987, em Viseu, onde divide a sua atividade profissional entre professor de História do 3º ciclo e dirigente associativo/animador cultural na Associação GICAV (que ajudou a fundar), e onde tem colaborado como Diretor do Festival Internacional de Banda Desenhada de Viseu (desde a década de 80), entre outras funções interventivas e de dirigente. 
Representante do GICAV na Comissão de Honra do Festival de Banda Desenhada da Amadora; colaborador em diversos projetos na área da BD e cartoon; júri dos Prémios Anim´Arte e das Marchas de Santo António de Viseu. Foi em Santa Cruz da Trapa que se iniciou nas lides culturais e nas artes plásticas, fundando a Associação ARCA nos anos oitenta, quando começou, também, a escrever os primeiros textos poéticos, nos intervalos das atividades da Licenciatura em História. A descontinuidade temática e o experimentalismo técnico caracterizam a sua produção artística e literária, saltitando no tempo e nos espaços, como numa encruzilhada de indecisões ao sabor dos instantes e dos sentimentos. Possui obras artísticas em várias coleções particulares, no país (Lisboa, Porto, Coimbra, Algarve, Viseu, Pombal, Tramagal, Peniche, Carregal do Sal, S. Pedro do Sul, Avanca,..).e no estrangeiro (Argentina, França, Grécia, Áustria, Canadá e EUA). 
Paralelamente ao gosto pela escrita, apresentou exposições em Lisboa, Castelo Branco, Tramagal, Óbidos, Termas de S. Pedro do Sul, Nelas, Carregal do Sal, Santa Comba Dão, Penalva do Castelo, Tondela, para além de variadas mostras individuais e coletivas em Viseu, desde1987 (III Salão Pintura da Feira de S. Mateus).
No campo das letras, existem editados pela Associação GICAV dois pequenos trabalhos de Poesia, Verso ante Verso e Alma Penada, e duas coletâneas de Contos Atos de Necessidade e Histórias que Chegam a Ser Comoventes…ou a Redundância do Passado; existem ainda os trabalhos poéticos Versos Concêntricos, editado pelas Edições Sagesse, Ode à cidade de Viseu (Quartzo editora-2013) Santa Cruz da Trapa Verso E Reverso (Quartzo editora-2013). 
Participou nas coletâneas Poesia Contemporânea, e Antologia Poética - Viseu 2011 e Concurso Nacional de Poesia 2014. Colaborou com a Revista Anim´Arte e jornais/revistas locais e nacionais. 
Escolas
Hora
Escola
AESCT
Nº de alunos
Professores acompanhantes
Total de pessoas na sessão
Stª Cruz da Trapa
10:20-11:05
7º A
17
Prof. Cristina Almeida

Total
59


8º A
18
Prof. Ana Bastos/Sandra Costa
8ºB
12
Prof. Marina Mendonça
8ºC
12
Prof. Margarida Soares
11:05-11:50
9ºA
18
Prof. Carla Martins
Total
51

9ºB
13
Prof. Íris Macedo
7ºB
20
Prof. Teresa Cidra