sábado, 28 de março de 2015

21 DE MARÇO | DIA MUNDIAL DA POESIA

Concurso de Poesia- "OS LUGARES DA NOSSA TERRA"
Vencedores do Concurso


         No intuito de promover a poesia e valorizar esta expressão literária entre a comunidade escolar, e como forma de comemorar o Dia Mundial da Poesia, celebrado a 21 de março, a equipa da biblioteca escolar e as docentes de Português, dinamizaram o Concurso de Poesia. Este Concurso destinava-se a todos os alunos, professores, funcionários e pais/ encarregados de educação do Agrupamento de Escolas de Santa Cruz da Trapa.
        Os textos a elaborar obedeciam à seguinte temática: OS LUGARES DA NOSSA TERRA à semelhança do livro de poesia, SANTA CRUZ DA TRAPA Verso E Reverso (Guia Poético da Nossa Terra), do escritor Carlos Almeida.
        Os trabalhos premiados foram lidos no recital de poesia, que decorreu na véspera do Dia Mundial da Poesia- dia 20 de março (6ªFeira), na biblioteca, pelos alunos vencedores.
Assim, os alunos premiados no concurso "OS LUGARES DA NOSSA TERRA" foram os seguintes:

Catarina Trindade Almeida, do 8.ºA, com o poema, intitulado:

Dianteiro

Dianteiro, minha terra,
minha terra onde nasci,
Se fosse para escolher terra
O Dianteiro eu escolhia.

Não há terra igual
Com tanta alegria,
Porque só nesta terra existe fantasia.

19 de março,
Dia de celebração,
Em nenhum outro dia
Há tanta agitação.

São José é padroeiro,
Padroeiro desta animação,
Para quem se quer divertir
Nada melhor que ir à procissão.


Diogo António Almeida Reis, do 8.ºA, com o poema, intitulado:

Santa Cruz da trapa

Santa Cruz da Trapa, vila pequena
No centro de Lafões,
Paisagem serena
Que zela pelas tradições.

Terra banhada pelo rio Baroso,
Abraçada pela serra da Gralheira e da Arada,
Imaginação é um bem harmonioso
Que esta gente a sente amada.

As construções existentes
Na história se relembram,
Para as populações presentes
As instituições se apresentam.

Gabriela Correia, do 8.ºA, com o poema, intitulado:

Serrazes minha terra

Serrazes, minha terra,
Aldeia mãe de belos encantos,
Toda ela sempre cheia
De amor e alegria.

Na tua pedra escrita,
Escondes os teus segredos.
Entre círculos e traços
 Se escreve o teu passado.

Terra de gente humilde
Que nos campos procuram o seu sustento,
Semeando e colhendo
O seu alimento.

O verde das tuas paisagens
Enche o coração de esperança.
Nas sombras das tuas árvores
Ficam as memórias de criança.     






Pelo 7º ano consecutivo, o Plano Nacional de Leitura (PNL) e o Centro Cultural de Belém (CCB) lançaram o desafio aos alunos dos diversos níveis de ensino, no sentido de estes elaborarem poemas originais e, com eles, assinalar-se o Dia Mundial da Poesia.
         O Agrupamento de Escolas de Santa Cruz da Trapa aderiu a esta iniciativa e foi com enorme agrado que recebeu a notícia da atribuição do 2º Prémio no concurso "Faça Lá um Poema", à aluna Iuna Maya Dreyer, do 8.ºB, com o poema: Dois amigos diferentes, representante do 3.º ciclo do Agrupamento de Escolas de Santa Cruz da Trapa.

Dois amigos diferentes

Era uma vez…
Num lindo dia de verão
Um mestre de xadrez
Conhecido por Zarranfião.

Zarranfião era homem alto
E, acima de tudo, era magrinho
Trazia roupas cor de asfalto
E cabelo à porco-espinho.


Tinha o pai finlandês
A sua mãe era da Somália
Ele próprio era francês
Mas morava na Austrália.

Ele era bem teimoso,
Não gostava de perder.
Notava-se que era guloso
Pois passava a vida a comer.

Outro seu grande defeito
Era ser um trapalhão
Não passava por um sujeito
Sem lhe dar um encontrão.

Na cidade onde ele vivia
Morava um homem de nome Crombo
Que Zarranfião não conhecia
E que na banda tocava bombo.

Ao contrário de Zarranfião
Crombo crescera para os lados.
Mas os que o chamavam de «balão»
Ficavam mesmo tramados.

Pois Franinhas protegia
O seu dono como um cão
E era feroz, esta cria,
Uma cria de leão.

E Crombo, como já disse há bocado,
Era muito muito baixo
E mesmo assim era pesado
Que nem o Franinhas o mandava abaixo.

Ele era de carácter calmo
Uma pessoa muito bondosa
Com paciência para tudo e todos
Tocava numa banda famosa.

Nascido nesta cidade
Todos o lá conheciam
E pessoas de qualquer idade
Ao pé dele se riam.

E neste tal dia de verão
Crombo foi ao restaurante chinês
Onde estava Zarranfião
Sozinho a jogar xadrez.

Crombo quis ir lá para ver
E foi para a mesa de Zarranfião
Que, apesar de sem querer
Lhe deu um encontrão.

E foi assim que se encontraram
Num dos restaurantes locais
Dois homens que se tornaram amigos
Mas que em nada eram iguais.


Ver listagem de vencedores aqui

Madalena Azevedo Baptista, do 5ºA participou e ficou apurada na fase de escola, no Concurso Faça Lá um Poema 2015, promovido pelo Plano Nacional de Leitura (PNL), como representante do 2.º ciclo do Agrupamento de Escolas de Santa Cruz da Trapa, com o poema “O Amor”.

O poema vencedor:
O AMOR

O amor é como o sol,
Pode dar apagões
Não digo que o amor é mole!
Apenas pode partir corações…

O amor faz chorar
O amor é dor
O amor não é só amar…
O amor tem muito mais valor!!!

Digam não à violência.
Digam não à solidão
O amor tem muita paciência
Só tens de dizer o que te vai no coração!

Quem escreveu este poema,
Sabe o que dói o amor…
O meu nome é Madalena
E o 5ºA é o melhor!


 CONCURSO NACIONAL DE LEITURA 2015- 1.ª Fase

Alunas apuradas para a 2ª fase – Finais Distritais

3º Ciclo

Marta Matos Ferreira- 8ºB
Maria Francisca Cabral– 7ºB
Rita Ustasch  Marques 7ºB


Entrega de prémios e de certificados de participação às alunas vencedoras do concurso Nacional de Leitura e do "Concurso Faça Lá um poema,2015"

Parabéns a todos os alunos que participaram nestas iniciativas!

Os alunos revelaram muito interesse pela atividade e aplaudiram os colegas e professores que lhes revelaram o gosto pela poesia. 
Os alunos também declamaram os seus próprios poemas e que lindos poemas.

Momentos mágicos de poesia proporcionados pelas professoras Isabel Ribau e Paula Almeida.

Estas iniciativas da Biblioteca Escolar foram recompensadas com o empenho demonstrado pelos alunos, professores, assistentes operacionais e com o superior cuidado prestado pela Direção do Agrupamento.
A todos o nosso bem-haja!


 Do momento, ficam as fotos.




Sem comentários:

Enviar um comentário