terça-feira, 23 de outubro de 2012


BIOBIBLIOGRAFIA DE CRISTINA MAYA CAETANO

Cristina Maya Caetano nasceu em Angola, viveu em Moçambique e presentemente mora em Aveiro - Portugal. É licenciada em Planeamento Regional e Urbano pela Universidade de Aveiro; Pós-graduada em Estudos Europeus e Comunitários pelo Instituto Superior de Ciências da Informação e da Administração (ISCIA) em Aveiro e, Mestre em Estudos Africanos pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Tem Curso de Monitora de Artes Decorativas em Madeira e Curso de Monitora de Artes Decorativas.
Frequentou Curso de Verão “Oficina de artes - pintura a óleo” e, um semestre num Curso de Pintura e Desenho, pela Universidade de Aveiro - Associação do Conservatório Regional de Aveiro - Calouste Gulbenkian. Tem formação em Contadores de Histórias (Clai- Aveiro).
Tem vasta experiência profissional, que passa desde Professora, Agente de Desenvolvimento, Diretora de Serviços, Técnica Superior de Planeamento Regional e Urbano.
Pintora e escritora (na área das crónicas; poesia; contos infantis e romances), foi cronista no Jornal de Abrantes, Jornal Diário de Aveiro e na Rádio FM Aveiro e atualmente é cronista no Jornal Pinhel Falcão e Jornal Raiz On-line com a crónica Ver e Sentir. Editou o seu primeiro livro em 2004, Conhecer o teatro em Moçambique e, ilustra os seus próprios livros como é o caso da coleção de sete volumes da Fadinha Lótus, cujo primeiro número, “A Procura”, foi editado em Dezembro de 2008. Em 2009, participa na Antologia do Amor da U.L.L.A e na Antologia De Poesia Contemporânea Entre O Sono E O Sonho.
Em 2001, iniciou a sua participação em várias exposições coletivas de artes decorativas e de artes-plásticas. Tem vários quadros em diversas Instituições.
Em 2008, participa com mais 17 artistas da Aveiro Arte na realização de um Painel dos Direitos Humanos exposto na entrada da Estação de Caminho-de-ferro de Aveiro, no âmbito das comemorações do 60.º Aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

 
ENCANTADO JARDIM
 
 
Num qualquer imaculado jardim...
Entre árvores habitando,
Flores, de casa servindo,
Em riachos e lagos residindo,
Fantásticos seres, que em comunidade vivem e bem o apreciam,
Em todo o lado existem.
Em sintonia com a natureza mãe,
Uns, o vento amigo, sementes de campainhas e miosótis espalhar ajuda,
Outros, deliciosos perfumes de pétalas confecionam,
Já os mais artísticos, diferentes tonalidades de amarelo e vermelho as folhas pintam.
Todos, de um mágico cenário acompanhados,
Um adorável tapete de flores, que a vida celebra,
Pequeninos seres, de cintilantes vestidos,
Dançam e comemoram.
Abrigo, alimento,
Roupa e mágicas poções,
Tais flores proporcionam.
E nunca, nada ao acaso fica!
Pétalas azuis e cor-de-rosa de pequeníssimos miosótis,
Mensagens a todos os amigos do bosque levam,
Sempre com o amigo vento a acompanhar,
E o sol amigo a brilhar,
Festejar vida é!
Seja ao som do suave tilintar dos arbustos madressilvas,
Que de flores brancas, em amarelas se transmutam,
Sem nada em troca pedir, todo o bosque perfumam.
Seja com as pendentes campânulas brancas, que boas noticias trazem,
Ou com uma generosa cobertura de campainhas que sempre bem fica....
Vida, sempre, continua a ser!
Fadas, duendes, ninfas, gnomos,
Alegremente convivem,
A partilha reforçando,
E amizade cimentando.
Que bem os humanos ensinam,
Pois ventura é saber viver,
Tal como num idílico jardim,
Num ápice,
Numa cidade, humanizada transformada
AUTOR: Cristina Maya Caetano
 
FLORAIS OUTONAIS
 
Ténue, a luminosidade fica,
Diminui o dia,
Aumenta a noite.
Mas as estrelas, o sol, a lua,
Permanecem lá,
A brilhar, a brilhar,
E as flores, a nascer continuam!
 
Amarelado, vermelhado, alaranjado,
Tons comuns se tornam,
As cores, outras, todas,
Num cuidadoso florir unem-se,
Majestosos outonais florais,
Essas incógnitas flores,
Para uns e outros desconhecidas,
Na alma bordadas,
A cor de todas as flores tem!
Estado de espírito,
Outono parece,
Das cinzas, renasce,
Floresce!
Pintado a vários tons,
Garridos, mesclados, discretos,
O outro lado da alma,
Numa dimensão e visão outras,
Florejar sorrisos,
Novo ciclo denunciam,
Qualquer ser encantam,
E nova vida inicia!
Natural,
Como um bom filho,
Da Natureza Mãe!
 
AUTOR:Cristina Maya Caetano

Sem comentários:

Enviar um comentário